Sexta-feira, Outubro 22
Home>>Internet>>TIC Domicílios 2020: mais domicílios têm acesso à internet; preço da conexão é maior barreira
Internet

TIC Domicílios 2020: mais domicílios têm acesso à internet; preço da conexão é maior barreira

Image by rawpixel.com

O resultado da TIC nos Domicílios, pesquisa realizada pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br), realizada pelo Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br) do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br), mostrou avanço do uso da internet nos domicílios brasileiros. Segundo dados colhidos em entrevistas online/telefone ou presenciais (com todos os cuidados possíveis), ficou mostrado que 83% dos domicílios avançaram no uso da internet, um crescimento de 12 pontos percentuais em relação a 2019. Esse dado poderia até ser maior. Porém, há um gargalo ainda difícil de superar: o custo da banda larga.

Domicílios com acesso à internet por região

Apesar disso, os crescimentos foram notáveis por todo o Brasil. Destaco o avanço do Nordeste no uso da internet residencial. A região cresceu mais, percentualmente, do que demais. Saiu de 65 pontos percentuais e foi para 79. A região líder em 2020 segue sendo a Sudeste que saiu de 75 pontos percentuais em 2019 para 86 em 2020. Porém, em relação a última pesquisa, a de 2020 mostrou menores diferenças regionais.

Domicílios com acesso à internet

Também houve um crescimento em todas as categorias de uso de domicílio com internet. A classe A que estava há duas pesquisas com 99% chegou aos 100%. A classe B pulou de 95% para 99% e a C saltou de 80% para 91%. Classes DE seguem bem atrás com uso de internet, mas também registraram crescimento saindo de 50% para 64%, maior índice com 14 pontos percentuais. A C teve 11 pontos percentuais.

Domicílios com acesso à internet por classe social

A pesquisa mostra, neste caso citando dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), que o número de acessos de banda larga fixa (SCM) cresceu 12% entre janeiro de 2020 e janeiro de 2021. E o maior aumento de banda larga fixa foi nos domicílios das classes DE aumento de 12 pontos percentuais.

Outro levantamento interessante é o TIC provedores 2020, onde 9 em 10 provedores disponibilizam fibra óptica aos clientes e mostrou-se um crescimento de 13 pontos percentuais.

Domicílios com computador por classe e área

Voltando a TIC Domicílios, a pesquisa encontrou que a banda larga móvel (modem ou chip 3G/4G) caiu de 27% em 2019 para 22% em 2020, enquanto a banda larga fixa (total) cresceu de 61% para 69% no mesmo período.

Outro dado interessante de se analisar é o aumento do número de computadores nos domicílios: crescimento de 6 pontos percentuais. Esse aumento foi, especialmente, na área urbana (7 pontos percentuais de crescimento) e classes A (5 pontos percentuais) e C (6 pontos percentuais).

Usuários de internet por área

A pesquisa mostrou que houve um aumento da proporção de usuários de Internet (81%, com crescimento 7 pontos percentuais). As maiores diferenças foram nas áreas rurais (com aumento 18 pontos percentuais), 60+ anos (crescimento de 16 pontos percentuais), com Ensino Fundamental (aumento de 12 pontos percentuais), mulheres (aumento de 11 pontos percentuais) e classes DE (aumento de 10 pontos percentuais).

Usuários de internet por classe social

Infelizmente as desigualdades no acesso persistem. As classes mais altas, com maior escolaridade e mais jovens seguem com maiores proporções de usuários de Internet.

TVs smart avançam

Usuários de internet

Um dado curioso e já esperado com a chegada de mais e mais TVs smart e dispositivos que oferecem apps e serviços extras para TVs, foi que o acesso à internet via TVs cresceu 44%, um aumento de 7 pontos percentuais. Foi uma proporção superior à do uso por computador (42%).

Também foi mostrado pela pesquisa que somos 152 milhões de usuários de internet. Quando analisamos por classes, a classe A saiu de 95 para 92 (dentro da margem de erro). Já a classe B subiu de 93 para 97; a classe C saiu de 78 para 85 e as classes DE pularam de 57 para 67. Logo, as classes B (4 pontos percentuais), C (7 pontos percentuais) e DE (10 pontos percentuais) apresentaram as maiores diferenças em relação a 2019.

Usuários de internet por acesso exclusivo de celular

Quando analisamos os usuários de internet por dispositivo utilizados, o telefone celular manteve 99%. O usuário de computador manteve 42, enquanto o de TV saltou de 37 para 44. Segundo levantamento da pesquisa, classes mais altas usam a internet pela televisão em maiores proporções. Também foi registrado maior crescimento do uso da internet entre usuários de 16 a 24 anos (16pp) e pretos (14pp).

Uso exclusivo no celular é mais rural (84), no Nordeste (72), feminino (62), preto (65), ensino fundamental (81), de 10 a 15 anos (71) e classes DE (90).

Usuários de internet por local de acesso individual

Local de acesso individual é 97 em casa, na casa de outra pessoa (amigo, vizinho ou familiar) 59, enquanto se desloca 50, no trabalho 36, na escola ou estabelecimento de ensino 11 e no centro público de acesso gratuito 9.

As atividades essenciais migram para a Internet, mas persistem desigualdades no aproveitamento das oportunidades on-line. A Classe C realizou mais cursos a distância (18%, aumento de 9 pontos percentuais) e estudo por conta própria (45%, aumento de 8 pontos percentuais), mas ainda em proporções inferiores à da classe A.

Mais usuários procuraram (subiu 14 pontos percentuais) ou realizaram serviços públicos on-line (subiu 9 pontos percentuais) em 2020.

Atividades realizadas na internet – comunicação

Usuários das áreas urbanas, com maior escolaridade e classes sociais mais altas seguem realizando essas atividades em maiores proporções.

Houve um aumento da realização de transações financeiras on-line (subiu 10 pontos percentuais). Aumento maior entre as classes C (13 pontos percentuais) e DE (10 pontos percentuais).

Atividades realizadas na internet

Em atividades realizadas na internet, classe A (93%) e pessoas com Ensino Superior (90%) fizeram chamadas de voz ou vídeo em maiores proporções. Áreas rurais: 62%.

Usuários com Ensino Superior (78%) buscaram informações sobre saúde em maior proporção que os com Fundamental (30%). Classes C (13 pontos percentuais) e DE (10 pontos percentuais) realizaram mais transações financeiras em 2020, mas em proporções menores que a Classe A (86%).

Atividades realizadas na internet – informações e serviços

Mais usuários procuraram (14 pontos percentuais) ou realizaram serviços públicos on-line (9 pontos percentuais) em 2020.

Ler jornais, revistas ou notícias online foi a atividade realizada por 86% Ensino Superior e 45% Ensino Fundamental. O que dominou os usuários de 10 a 15 anos foram as atividades escolares que atingiu 91% (20 pontos percentuais de crescimento).

Realizar atividades de trabalho pela internet foi reportada em maior proporção pela Classe A (72%) e por usuários com Ensino Superior (66%). E houve um aumento significativo de cursos a distância (9 pontos percentuais) e estudo por conta própria (8 pontos percentuais) por usuários da classe C.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *