CibersegurançaRedes sociaisSlider

Proteja seu Instagram das ameaças mais comuns na plataforma

O Instagram completa 11 anos hoje e é a quarta rede social mais usada no mundo, com mais de 1.3 milhão de pessoas ativas, compartilhando todo tipo de imagens, vídeos e stories com conhecidos e desconhecidos. Essa plataforma evoluiu de tal forma que hoje é uma vitrine para comprar e vender produtos e serviços. Essa relevância tornou a rede social um alvo atraente para cibercriminosos e, portanto, golpes são cada vez mais comuns na plataforma. O Instagram soube aproveitar a oportunidade que a pandemia trouxe para o e-commerce. Um estudo da Kaspersky revelou que, durante o distanciamento social, 79% dos brasileiros dedicaram seu tempo online para se conectar nas redes sociais e 52% migraram suas compras físicas para a modalidade online. Os cibercriminosos sabem que muitas pessoas e empr

Leia mais
CibersegurançaSlider

Malware Formbook afetou mais de 5% das organizações no Brasil

Foto: rawpixel.com A Check Point Research (CPR), divisão de Inteligência em Ameaças da Check Point Software Technologies, uma fornecedora de soluções de cibersegurança global, divulgou o Índice Global de Ameaças referente ao mês de agosto de 2021. Os pesquisadores relataram que o Formbook é agora o malware mais predominante no ranking mensal no mundo, assumindo o lugar de liderança do Trickbot, o qual caiu para o segundo lugar após ter liderado o índice por três meses consecutivos. O Formbook é um infostealer, um malware que rouba credenciais de vários navegadores da web, captura imagens, monitora e registra digitação de teclas e pode baixar e executar arquivos de acordo com as ordens de comando e controle (C&C). No mundo, 4,5% das organizações foram impactadas pelo Formbook,

Leia mais
CibersegurançaSecundárias

Kaspersky detecta trojan se propagando como mod do WhatsApp

Imagem: Rawpixel.com A Kaspersky, empresa de cibersegurança e privacidade digital, identificou um mod malicioso do WhatsApp Messenger em circulação, conhecido como FMWhatsApp, e é uma modificação não-oficial do aplicativo. Porém, esta aplicação contém um trojan chamado Triada que pode exibir anúncios, realizar assinaturas não solicitadas e interceptar SMSs das vítimas. De acordo com as detecções da empresa entre janeiro de 2020 e agosto de 2021, o México e o Brasil são os países latino-americanos onde o trojan está mais ativo com 2.474 e 2.327 bloqueios no período - no ranking global, os países ocupam a 6ª e 7ª posições respectivamente. A ameaça ainda está presente na Venezuela (690), Colômbia (636), Peru (362), Argentina (311), Equador (226) e Chile (160). Este malware atua como

Leia mais
AndroidCibersegurança

ESET descobre uma campanha de espionagem contra usuários de Android

A ESET, uma empresa de detecção proativa de ameaças, identificou uma campanha de espionagem voltada para dispositivos móveis que tem como alvo o grupo étnico curdo. Esta campanha está ativa desde pelo menos março de 2020, distribuindo (através de perfis do Facebook) dois backdoors Android (conhecidos como 888 RAT e SpyNote) disfarçados de aplicativos legítimos. Esses perfis pareciam compartilhar notícias relacionadas ao Android em idioma curdo e notícias para apoiadores da etnia. Alguns desses perfis também espalharam deliberadamente aplicativos espiões em grupos públicos do Facebook, promovendo conteúdo pró-curdo. A ESET identificou e reportou ao Facebook seis perfis que compartilhavam aplicativos espiões do Android como parte desta campanha, conduzida pelo grupo BladeHawk. Após o rela

Leia mais
Cibersegurança

ESET analisa ransomware; alvo são governos e empresas

Crédito: ESET/Divulgação A ESET, empresa líder em detecção proativa de ameaças, compartilha as principais características do ransomware Ryuk, que tem estado muito ativo desde o início da pandemia do Covid-19. Na maioria dos casos, esse tipo de malware tem como alvo instituições com grande capacidade de recursos e visa criptografar os arquivos da máquina da vítima para torná-los inacessíveis e, em seguida, extorquir dinheiro dela, pedindo um pagamento, em criptomoedas, para sua recuperação. Ryuk tem sido um dos grupos de ransomware que mais trabalham desde o início da pandemia, causando um grande número de vítimas, incluindo várias organizações governamentais e grandes empresas. Isso se deve à sua estratégia de realizar ataques altamente direcionados às vítimas que possuem recursos su

Leia mais
Cibersegurança

Malware brasileiro se internacionaliza com foco em ataques ao mobile banking

Foto: Imagem de mohamed Hassan por Pixabay A Kaspersky descobre a família de trojans bancários móveis TwMobo e confirma três tendências importantes: o crescimento do interesse dos cibercriminosos nas fraudes via celular, a internacionalização das ameaças móveis brasileiras para a América Latina, Europa e EUA, e a preferência pelos RATs (Remote Access Trojan) - malware que permite burlar os mecanismos de dupla autenticação, que usam a digital, reconhecimento facial ou tokens digitais no celular. O aumento das transações bancárias e no e-commerce, motivado pelas regras de isolamento social aplicadas no combate ao coronavírus, e a consequente aceleração da transformação digital, resultou em preocupação com o crescimento das fraudes online - acelerando a adoção de tecnologias de dupla au

Leia mais
Cibersegurança

Ciberataques crescem 23% no Brasil em 2021, afirma Kaspersky

Image by rawpixel.com O Panorama de Ameaças 2021 da Kaspersky - levantamento anual feito pela equipe de Pesquisa e Análise da empresa na América Latina - mostra aumento de 23% dos ciberataques no Brasil, nos oito primeiros meses de 2021, em comparação com o mesmo período do ano anterior. O relatório leva em conta os 20 malwares mais populares. Juntos, eles totalizaram 481 milhões de tentativas de infecção - média de 1.395 bloqueios por minuto. A conclusão dos especialistas é clara: a segurança do trabalho remoto precisa ser levada a sério e a pirataria deve ser removida das casas e ambientes empresariais. A tendência de crescimento é verificada em todos os países da América Latina - exceto pela Costa Rica, com queda de 2%. A lista é liderada por Equador (75%), Peru (71%), Panamá (60%

Leia mais
Cibersegurança

Entregas falsas e spam por WhatsApp marcam os ciberataques no 2º trimestre de 2021

Image by rawpixel.com Segundo levantamento da Kaspersky, empresa internacional de segurança e privacidade digital, as alterações na rotina decorrentes da pandemia da Covid-19 ainda servem como armadilha para os usuários. Porém, as iscas usadas para enganar as pessoas têm mudado, acendendo um alerta para a sofisticação dos cibercriminosos. No ano passado, no Brasil foram contabilizados 44,1 milhões de bloqueios de phishing, de acordo com a Kaspersky. Em 2021, levando-se em conta o período entre abril e junho, foram barrados 8,3 milhões de tentativas de roubo de dados a partir de links maliciosos. Desde o ano passado, para se ter uma ideia, os golpistas têm se aproveitado dos entraves logísticos, como a interrupção das entregas, para fazer o usuário abrir links de phishing presentes

Leia mais
Cibersegurança

Deep fake desafia a confiança no que estamos vendo, afirma professor da UFC

Image by rawpixel.com Em 2018, o mundo se chocou com um vídeo onde Barack Obama falava, mas que no final se descobriu que era uma manipulação computacional onde o ator e diretor Jordan Peele passava uma mensagem: o deep fake já era possível. Com essa tecnologia de aprendizado de máquina (machine learning), Deep Learning, programação (python em especial) e Inteligência Artificial (IA) já era possível criar uma persona falando o que você quisesse. O temor de muita gente estava saindo do campo da ficção científica e virando uma chocante realidade. >>>Deep fake pode mudar uma eleição e os rumos de um país? De lá pra cá, muita coisa mudou e evoluiu e as técnicas foram sendo aprimoradas. Segundo o professor doutor do Departamento de Computação da Universidade Federal do Ceará (

Leia mais
Cibersegurança

Deep Fake pode mudar uma eleição e os rumos de um país?

Antes da última eleição municipal eu tentei provocar o assunto Deep Fake, a tecnologia onde você cria vídeos com a voz e imagem de uma pessoa (geralmente famosa) sem ser ela e coloca um texto totalmente desconexo para ela falar. A pauta não emplacou porque todos acham isso bobagem, uma inocente brincadeira. Mas não é. A Inteligência Artificial (IA) por trás do Deep Fake está evoluindo rapidamente e a tendência é que tenhamos, mais cedo ou mais tarde, algum efeito prático em uma eleição. Com ânimos exaltados no Brasil, não acharia estranho que o grande e inicial golpe político usando Deep Fake venha exatamente do nosso País. Já tivemos enxurradas de fake news via WhatsApp na última eleição presidencial. Logo, para iniciarmos uma Deep Fake elaborada com vídeo ou mesmo só áudio, não seria

Leia mais